30/03/2013

Cinco minutos desfalecidos

Postado por Julia Taina 2 comentários

Cinco minutos. Estou atrasada. Mas não posso negar ao impulso de te escrever. Mas como vou te falar tudo o que sinto, o que eu virei a sentir, em apenas cinco minutos? Não conseguirei. Mas eu preciso falar algo, não estou aguentando mais, ficar sem falar com você e de você. Estou com medo, eu sempre disse que não daria certo, que não deveria tentar, eu sabia que você era um caso perdido. Mas mesmo assim eu fui tola, imatura, inocente ao pactuar com os seus desejos. Você me consome, não só corpo mas principalmente a alma. Alma esta que está inconsolável. Porque tem que ser assim? Justamente aquele que nunca irá me amar? Porque? Se eu soubesse, juro que nunca mais chegaria perto de você, e de seus xaras. Você me atiça, liberta meu coração congelado, mais uma vez eu digo que estou com medo. Mas já é tarde. Poxa! Como sou frágil, como me deixo apaixonar tão facilmente. Não deveria ser assim, eu deveria ser a pessoa forte, aquela que nunca se engana e se deixa enganar. Eu sempre fui assim. Não sou com você. Então vem, deixa eu te amar. Não me machuque como os outros. Quero que esses “outros” fiquem só na memória, longe, longe de nós dois. Será que conseguirá largar tudo por mim. Por um amor que talvez amadureça, se você quiser, é claro. Lembra todas as vezes que te falei isso, todas as vezes que duvidei que tivesse gostado de mim, de como eu me fechava quando estava contigo. Isso tudo foi medo. É medo. Somente de você e do que eu sei que pode fazer comigo. Já passei por isso, e não, não quero sofrer deste jeito desfalecido de novo. Não quero morrer em vida, mais uma vez.



25/03/2013

Olá!

Postado por Julia Taina 0 comentários
Como a Ju já havia contado pra vocês tem gente nova por aqui. Tive a honra de ser convidada por ela para dividir com vocês um pouquinho das coisas que acho interessantes/importantes/bonitas etc etc, principalmente sobre livros e dicas de leitura, que como ela sabe, eu amo. Isso não impedirá que eu traga à vocês coisas além disso. Estou gostando muito da ideia, alias, já tive um blog, já tive um tumblr digno onde postava meus textos e pensava muito em voltar a fazer algo do tipo. Devo um muuuuito obrigada pra linda da Ju, e espero ser bem vinda aqui, prazer, me chamo Tuani Zat! =)

Para vocês me conhecerem um pouquinho melhor, ou matarem a curiosidade ... vou postar um dos meus textos preferidos aqui embaixo.


"Foram quase infinitos os passos dados por Camila naquela manhã, e no entanto, ainda não tinha rumo. Inocentemente viu-se perdida longe da cidade, longe de tudo e de todos, até mesmo daquele pensamento perturbador que a havia feito sair assim, sem rumo. Sentia seus olhos abrirem ao máximo de um modo deveras enigmático, sentia-se diferente, tinha a sensação de poder ver os mínimos detalhes da vida.
       Sentou-se a observar, uma vida que não era dela, estava no meio de um campo extraordinariamente verde, sem uma única falha, como que se as fadas da primavera tivessem feito ali um belo trabalho, digno de aplausos. Seus olhos alcançaram ao longe um pequeno riacho de água limpa, ouvia o borbulhar da água na corredeira, com os ouvidos aguçados prestou atenção nos pássaros que pousavam e saltavam das árvores, cantando alegres, podia sentir os seus sorrisos escondidos pela penugem.
      As árvores passaram a lhe encantar e assustadoramente, a cem, duzentos metros ela podia ver os mínimos detalhes de suas folhas, de vários formatos, redondas, triangulares e estreladas, do tronco, carregado de musgos viscosos por motivo do tempo muito úmido do outono. Desde Acácias, com copa arredondada, até escassos Pinheiros pontiagudos e espinhentos.
       Estava encantada e mais do que isso, sentia-se diferente, esquecia-se de tais motivos que a fizera estar ali. Deitou-se, pequena Camila, e dispôs-se a olhar o céu. Manto azul infinito estendido sob o mundo inteiro, era complexa demais tamanha grandiosidade, seu pensamento ainda se limitava a ser pequeno e entender que o céu era apenas aquilo que via até chegar o horizonte. Silenciou o pensamento por instante. Instante transformou-se em horas ali parada, simplesmente contemplando o céu, porque nada de melhor havia nesse mundo. Vieram as nuvens em forma de flores, lhe deixando um sorriso e indo embora, vieram em forma de sonhos e a fizeram sonhar. (In)felizmente a noite veio chegando, tomando apenas cantinho de céu e dizendo “Camila é hora de acordar”, e Camila acordou. Contemplou ultimamente o céu rosado no horizonte que em degradê transformava-se em azul claro-escuro e logo após já era noite. Relembrando: era noite apenas em um cantinho do céu.
       Andar sem rumo novamente era o seu destino, voltar atrás ela não iria, não agora. Em pouco tempo chegou em uma viela pequenina, sem cobertura, de terra mesmo e rodeada de um matagal denso, era de certa forma amedrontador, porém o céu rosado tirava essa “cara de mau” do lugar. Estranhou não sentir cansaço em suas pernas, nem sentir fome, mas no fundo sabia, seus crescentes sonhos a alimentavam. Ouviu barulho, mas disse a si mesma “Calma Camila, não é nada”. Ouviu de novo, ficou atenta, feito bicho acuado no canto da sala, com medo. Instintivamente escondeu-se, sim, entre o próprio matagal, pois não acreditava serem animais da mata. Sentiu seu coração bater forte e temia que até mesmo a vegetação a sua volta acordasse ouvindo o seu ‘tum tum’ de apreensão  Um minuto, dois depois, e revelaram-se ao longe barulhos acuados e crescentes que tornaram-se passos e por fim ela avistou.
        Família inteira, de humanos? Camila não sabia. Pequenos humanos, a primeira vista, pai, mãe, filho e filha. Aproximavam-se, e as crianças corriam alegres porém os olhos da mãe eram caídos e extremamente entristecidos, os cílios eram longos e belos porém demonstravam umidade de um choro incerto. Quanto mais próximos mais detalhes podia ver, eles tinham aparência humana, alguns centímetros menor que o normal, íris felina e muito clara, cílios longos como nunca havia visto antes, ao piscar lembravam as asas de uma borboleta, Camila sorriu. Surpresa, ao ver uma das crianças de costas percebeu seu rabo, propriamente dito, peludo, também felino, andavam graciosamente de um modo muito particular. De resto, pareciam humanos. A este momento quase alcançavam o arbusto onde se recolhia, e Camila se engraçava com suas garras e peculiaridades. Ela decidira os ver passar, e somente isto. O pequeno menino corria atrás de sua irmãzinha que distanciou-se para trás, chegou perto do arbusto e desastrosamente Camila recuou fazendo algum barulho, ela virou e olharam-se nos olhos. Só isso, Camila perguntava-se se ela havia mesmo sorrido, sentiu ternura pela pobre e pequena ... ela não sabia dizer o que era. 
      Quando deu-se por conta, eles já estavam fora de sua vista, havia novamente se perdido em seus próprios pensamentos e o tempo passara. Voltou a parar no meio da viela, e decidia para que lado seguiria quando ouviu um chamado por seu nome, um chamado agudo de estourar tímpanos, e acordou.
        Sim, você leu bem, Camila a-c-o-r-d-o-u, estava de volta a seu quarto a sua cama e com a mente presa em um sonho do qual não desejava ter saído. Porém não acredite que por que era um sonho não era real, muito menos que porque foi único até agora que seria único eternamente. Saiba também que Camila, agora tinha alento, pois os motivos que a levaram caminhar sem rumo eram reais, foram esquecidos na irrealidade e não valiam a pena ser lembrados, não agora.
        Camila abriu sorriso e seguiu. Tinha muito pela frente."


                                                                                          
   






I'm back

Postado por Julia Taina 0 comentários
Voltei para as minhas raízes, o meu tão amado Tumblr! Fazia muito tempo que o havia abandonado (que triste), o motivo não sei ao certo, talvez por falta de tempo, ou por desinteresse apenas. Mas eu voltei para a alegria de alguns bons e amados seguidores. Eba.

Pra quem ainda não conhece, aqui está o meu Bor-bo-le-tras 
























Beijos, Ju 



23/03/2013

Rainbow

Postado por Julia Taina 4 comentários
Bom dia de sol para todos! Yeah!

Alguém já pensou, ou sonha em ter cabelos coloridos? Eu acho simplesmente fantástico! E ainda vou pintá-los de algumas cores (rosa, azul e verde), Haha. Mas vai demorar algum tempo ainda, porque acabei de pintar o meu de ruivo, eba. E falando em cabelos coloridos, não tem como não falar nas divas que usam, não é. 

Marimoon

Quando falamos de cabelos coloridos, é indispensável lembrar e ter como referência a apresentadora e estilista Marimoon. Fazem mais de dez anos que ela mudou seus cabelos, deixando de lado a referência do normal para realizar o sonho de ter "arco-íris" nos cabelos.


Hayley Williams 

Cantora da banda Paramore, Hayley com 25 anos, arrasa com seus cabelos ruivos maravilhosos (ai que inveja).


Audrey Kitching 

Audrey é uma blogueira e designer de moda estadunidense, de 28 anos. É conhecida pelos seus cabelos (lindos) rosas e tem um site sobre moda.





22/03/2013

Novidades!

Postado por Julia Taina 2 comentários
Olá, tudo bom com vocês?

Eu estou muito feliz, pois hoje duas pessoas aceitaram meu convite para parceria no blog! Aê! *-* Havia algum tempo que já pensava nessa possibilidade de encontrar parceiras para escreverem comigo, então hoje  resolvi deixar a vergonha e o medo de lado, e ir atrás do que eu queria, convidei duas pessoas, que além de serem lindas e super fofas, são talentosas e confio o domínio do assunto que irão tratar de hoje em diante. Então vamos conhecê-las?

Para falar sobre moda e beleza, minha amiga, confidente e super fofa (e não estou exagerando) Bruna Luiza Anselmini.

Para falar sobre livros e afins, uma pessoa que admiro por seus textos incríveis, e pelo amor a leitura (como eu), além de ser super querida e linda! Tuani Zat

Vai ser um prazer imenso compartilhar o blog com vocês meninas, espero que nossa parceria dê muito certo e que todos amem a presença de vocês por aqui como eu!


Sejam bem vindaaaaaaaaas! ♥



Olhos confusos

Postado por Julia Taina 0 comentários
No ar pairava algo que não imaginava ser real, como uma aura angelical, lá estava ele, tão longe, alguns metros e milhas da possibilidade. Olhos confusos, se agitavam no meio da calmaria. Gostaria de saber o que faz sozinho em uma tarde tão diferente das que passei por aqui, onde não encontrei nada além de antigos sonhos sentados ao lado de antigas realizações, frustados por seu tempo estar acabando. O vento  lembrava minha infância, onde meu vestido esvoaçava juntamente do meu sorriso que o tempo não conseguiu apagar de minha memória. Aquele vento deve ser o culpado, vento que semeia nosso destino, deve ser isso. Eu quis ir conversar com você, mas de que forma, se tudo o que imaginava te dizer não fazia sentido, ou talvez meu sentido é que não via nada além de você. O mundo estava girando de outra maneira, até o sol me aquecia com mais aconchego. Estava delirando, ou tudo estava desejando o meu bem, que dessa vez desse certo. E deu. Deu tão certo que a partir daquele dia, o destino deixou que eu cuidasse de tudo. Não sei se sou merecedora de tanto, mas sei que por aquele garoto que hoje não tem olhos confusos, mas sim, olhos quietos e sabidos, eu farei de tudo, até mesmo abrir mão de uma vida, para ter a nossa vida. 





16/03/2013

Sugestão de presentes

Postado por Julia Taina 0 comentários
Quem me conhece sabe que daqui alguns dias estou de aniversário (feliz dezoito anos, eba). E como todo mundo tem uma certa dificuldade em escolher presentes, mesmo conhecendo o gosto do aniversariante, vou dar uma ajuda para vocês.

imagens via google.com

1. Agenda About a Thing - R$ 45,00 (site da loja)
2. Livros, livros e mais livros! A culpa é das estrelas - R$ 22,90 (site da loja)
3. Meias que imitam tatuagens (site da loja)
4. Acessórios para cabelo (site da loja)
5. Tiara de Spike - R$ 20,00 (site da loja)
6. Canecas fofas (site da loja)




15/03/2013

O dia de hoje

Postado por Julia Taina 4 comentários
Meu passado está interligado
por algo que não posso deixar de ser
Querer lembrar já não deixa de ser cotidiano
Saudades
Lembranças que vem e não vão
O dia de hoje me faz feliz
Pois não esqueci do amor.

14/03/2013

Dia Nacional da Poesia! ♥

Postado por Julia Taina 0 comentários
"E quem não gosta de poesia boa gente não é. É assim que penso, que sinto e que vivo. A vida em poesia é mais propicia a acertos, é como o céu preenchido de noite e desenhado com estrelas, sem elas, seria apenas aquele escuro que nos assusta quando estamos perdidos. Então vamos nos apaixonar pela poesia, todos os dias, e nos sufocar com a sutileza que nos provoca."

Julia Taina.

Vamos conhecer algumas poesias para comemorar esse dia tão lindo, vamos?

Ausência

Por muito tempo achei que a ausência é falta.
E lastimava, ignorante, a falta.
Hoje não a lastimo.
Não há falta na ausência.
A ausência é um estar em mim.
E sinto-a, branca, tão pegada, aconchegada nos meus braços,
que rio e danço e invento exclamações alegres,
porque a ausência assimilada,
ninguém a rouba mais de mim. 
Carlos Drummond de Andrade

Memória

Amar o perdido
deixa confundido
este coração.
Nada pode o olvido
contra o sem sentido
apelo do Não.
As coisas tangíveis
tornam-se insensíveis
à palma da mão
Mas as coisas findas
muito mais que lindas,
essas ficarão. 
Carlos Drummond de Andrade


Ah ,só eu sei... 
Ah, só eu sei
Quanto dói meu coração
Sem fé nem lei,
Sem melodia, nem razão.
Só eu, só eu,
E não o posso dizer
Porque sentir é como o céu
Vê-se mas não há nele que ver. 
Fernando Pessoa


Deixa o Olhar do Mundo 
Deixa que o olhar do mundo enfim devasse
Teu grande amor que é teu maior segredo!
Que terias perdido, se, mais cedo,
Todo o afeto que sentes se mostrasse?
Basta de enganos!
Mostra-me sem medo
Aos homens, afrontando-os face a face:
Quero que os homens todos, quando eu passe,
Invejosos, apontem-me com o dedo.
Olha: não posso mais!
Ando tão cheio
Deste amor, que minh'alma se consome
De te exaltar aos olhos do universo...
Ouço em tudo teu nome, em tudo o leio:
E, fatigado de calar teu nome,
Quase o revelo no final de um verso. 
Olavo Bilac


Retrato 
"Eu não tinha este rosto de hoje,
assim calmo, assim triste, assim magro,
nem estes olhos tão vazios, nem o lábio amargo.
Eu não tinha estas mãos sem força,
tão paradas e frias e mortas;
eu não tinha este coração que nem se mostra.
Eu não dei por esta mudança,
tão simples, tão certa, tão fácil:
Em que espelho ficou perdida a minha face?" 
Cecília Meireles

Amor bastante 
Quando eu vi você
tive uma idéia brilhante
foi como se eu olhasse
de dentro de um diamante
e meu olho ganhasse
mil faces num só instante
basta um instante
e você tem amor bastante. 
Paulo Leminski 




13/03/2013

Of Monsters and Men

Postado por Julia Taina 0 comentários
E o "Estou amando" de hoje será protagonizado pela banda islandesa linda de indie rock que achei, perfeita para o dia de hoje, onde finalmente o sol voltou! (eba). As músicas são realmente muita fofas, e eu claro, amei e tive que compartilhar com vocês. 


 Espero que gostem também!
Bj, Ju



11/03/2013

Look my blue

Postado por Julia Taina 2 comentários





07/03/2013

Você está em tudo o que escrevo

Postado por Julia Taina 0 comentários
Era como se a minha vontade de viver estivesse ligada, totalmente e solidamente a uma pessoa. Aquele que exibia pelos cantos da cidade um molestável sorriso, um olhar que traçava o céu sem perder a vontade de dominar a terra. Eu o via de forma tão inalcançável que talvez até tenha sonhado algumas vezes em poder tê-lo. Não parecia em nada alguém em quem se pode confiar, totalmente, embora hoje sinto que na verdade tudo o que senti não passava de preconceitos que as pessoas ao meu redor faziam parecer realidade, sem ao menos dar o direito de resposta, redenção, ou segunda chance. Nada. O condenei sem o conhecer, e admito estar errada, peço desculpas por um ato que talvez tenha ajudado a feri-lo, mesmo sem perceber. Mas me perdoe. Posso te contar que ainda sonho contigo, em dias ensolarados, ajustando minha câmera com o seu olhar, sendo que as vezes o foco é deixado para segunda opção, pois percebo que o sol está te iluminando de um jeito que deixa qualquer Deus Grego com vergonha de si mesmo e com vontade de se esconder em algum quarto escuro e sem ventilação, esqueço de perguntar sobre a sua banda favorita e o que mais gosta de comer, é insignificante, eu preciso apenas daquela visão, e talvez um pouco de vento para me lembrar o que é respirar. Não estou exagerando. Amor é mágica. Amor é lúdico. Amar é gostar de cada detalhe, o joelho mal estruturado, o nariz mal colocado, os dedos esquisitos, do jeito como acorda, do cheiro que tem, daquilo que você detestava mas que agora, por algum motivo não vive sem. Esse texto me parece realidade, e um pouco dele é, ele sabe disso. Quando tento escrever sobre qualquer outro assunto ou emoção, ele está lá, de qualquer forma, em todos os personagens que criarei existirá um pouco dele, mais que minimamente. Estou começando a me imaginar como um alguém que só escreve romances mesmo adorando ficção científica, e a culpa é sua por tomar conta de tudo aquilo que poderia me dar inspiração. Mas a inspiração é você, sempre foi por você. Pelo amor verdadeiro, e não existe nada que me faz mais feliz do que te escrever em milhares de versos, em todos os cantos, por todas as horas, com todos os variados humores. E é por tudo, que você não é apenas uma parte da minha vida, é ela toda, valeu a pena te conhecer, valeu minha vida toda.



06/03/2013

Cantando pelo amor

Postado por Julia Taina 0 comentários
E se ela não voltar?
As malas já foram jogadas
a hora marcada as seis
Talvez eu esteja por la
mas o tempo de fato
não é meu aliado

E se ela não voltar?
Prometo encurtar o caminho
para te ver sob um céu só nosso
olhe agora pois está se abrindo
a espera da redenção

E se ela não voltar?
Já não sei se mereço
Se devo querer sua compaixão
Sei que o não está ligado
ao clichê de toda essa questão

Mas quando ela voltar
O céu ficará mais azul
O vento mais calmo
E todas as bocas por ai
estarão com mais vontade
de cantar pelo amor




Melhores filmes

Postado por Julia Taina 0 comentários
Ultimamente assisti a ótimos filmes, que podem ser colocados entre os melhores filmes que já vi. São histórias realmente incríveis, filmes que valem a pena ver, independente do seu gosto.

2 coelhos
Nota: ♥♥♥♥♥ (5/5)

Sem exageros, esse é o melhor filme brasileiro que eu já vi, sem dúvidas alguma, sendo muito melhor que diversos filmes do exterior. Esse é aquele momento em que você para e pensa que exitem coisas legais no nosso país sim, que existe muitas pessoas talentosas e que devemos prestar mais atenção e valorizar a nossa cultura. Conta a história de Edgar, que quer se redimir de um erro passado e também fazer justiça com as próprias mãos, contra o poder público, a corrupção. A história começa de um jeito, vai sendo traçada, e desvenda os mistérios que a ronda, sendo que o filme é totalmente inusitado, eu simplesmente tive um ataque quando acabou o filme, me deu aquela sensação de "Nossa! Que filme inacreditável! 



Ruby Sparks - A Namorada Perfeita
Nota: ♥♥♥♥♥ (5/5)

Mais um filme perfeito, esse não tem o que dizer para não ser perfeito, especialmente para mim, e para todas as pessoas que amam escrever, e amam romances também. É totalmente fofo, e com uma sequência que vai te deixando cada vez mais a fim de saber o final, e se haverá um final feliz para Calvin (e sim, houve um final feliz, awn, todas morrem de amores, awn). Mesmo sendo um escritor super renomado, ele não conseguia mais escrever, sobre nada, e tudo ao seu redor o atrapalhava, o fazia perder a concentração, até que em um dia Calvin teve um sonho com a namorada perfeita, Ruby Sparks, e por conta desse sonho, começou a escrever tudo sobre ela, a sua personalidade, sua infância, sua família, tudo. Até que em um certo dia Ruby apareceu no apartamento de Calvin, e é claro que ele surtou, mas após alguns testes (dramáticos e hilários) ele se deu conta que ela existia, que estava ali, e que o amava, completamente igual ao que havia escrito em seu livro. Mas como sabemos que nos filmes (e na vida real) nem tudo são flores, acontecem brigas que fazem Calvin tomar a decisão mais complicada para ele, a de deixar Ruby livre, viver a sua vida, sem as suas manipulações. Mas o que é para ser, será! Ai, e eu que sou muito crítica com filmes românticos, me apaixonei perdidamente por esse! 



Argo
Nota: ♥♥♥♥ (4/5)

A trama de Argo se baseia em um artigo de 2007 da revista Wired, "How the CIA Used a Fake Sci-Fi Flick to Rescue American from Tehran", de autoria de Joshuah Berman. O texto relembra uma história ocorrida em 1979, quando a CIA, com a ajuda de Hollywood, inventou que uma equipe de filmagem procurava locações para um filme em Teerã, chamado Argo, para conseguir evacuar seis diplomatas dos EUA da capital do Irã, na chamada crise dos reféns de 79 (créditos). Eu fiquei o filme inteiro tensa e com vontade de entrar na tela e ajudar os seis reféns, haha. Graças a Deus deu tudo certo e eu não tive um infarto. 








Resenha: O mochileiro das galáxias

Postado por Julia Taina 0 comentários
Olá, tudo bom com vocês? Estou bem, adorando o clima que faz em minha cidade, calor com um ventinho mais frio, perfeito! Estou feliz por voltar a postar, já que fiquei alguns dias sem inspiração (vontade). E nada melhor para voltar do que fazer uma resenha de uma das séries de livros que mais amo, O mochileiro das galáxias, e quem como eu ama esses livros? 



Para quem não conhece a série, nunca ouviu falar, ou não teve vontade de saber um pouco sobre ela, lá vai um pequeno resumo do que contém nas páginas deste livro.

O Guia do Mochileiro das Galáxias - Não entre em pânico - Vol. 1 

Arthur Dent tem sua casa e seu planeta (sim, a Terra) destruídos em um mesmo dia, e parte pela galáxia com seu amigo Ford, que acaba de revelar que na verdade nasceu em um pequeno planeta perto de Betelgeuse. Considerado um dos maiores clássicos da literatura de ficção científica, este livro vem encantando gerações de leitores ao redor do mundo com seu humor afiado. Este é o primeiro título da famosa série escrita por Douglas Adams, que conta as aventuras espaciais do inglês Arthur Dent e de seu amigo Ford Prefect. A dupla escapa da destruição da Terra pegando carona numa nave alienígena, graças aos conhecimentos de Prefect, um E.T. que vivia disfarçado de ator desempregado enquanto fazia pesquisa de campo para a nova edição do Guia do Mochileiro das Galáxias, o melhor guia de viagens interplanetário. Mestre da sátira, Douglas Adams cria personagens inesquecíveis e situações mirabolantes para debochar da burocracia, dos políticos, da "alta cultura" e de diversas instituições atuais. Seu livro, que trata em última instância da busca do sentido da vida, não só diverte como também faz pensar.



O Restaurante no Fim do Universo - O Guia do Mochileiro das Galáxias - Vol. 2 

O que você pretende fazer quando chegar ao Restaurante do Fim do Universo? Devorar o suculento bife de um boi que se oferece como jantar ou apenas se embriagar com a poderosa Dinamite Pangaláctica, assistindo de camarote ao momento em que tudo se acaba numa explosão fatal? A continuação das incríveis aventuras de Arthur Dent e seus quatro amigos através da galáxia começa a bordo da nave Coração de Ouro, rumo ao restaurante mais próximo. Mal sabem eles que farão uma viagem no tempo, cujo desfecho será simplesmente incrível. O segundo livro da série de Douglas Adams, que começou com o surpreendente "O Guia do Mochileiro das Galáxias", mostra os cinco amigos vivendo as mais inesperadas confusões numa história cheia de sátira, ironia e bom humor. Com seu estilo inteligente e sagaz, Douglas Adams prende o leitor a cada página numa maravilhosa aventura de ficção científica combinada ao mais fino humor britânico, que conquistou fãs no mundo inteiro. Uma verdadeira viagem, em qualquer um dos mais improváveis sentidos.



A Vida, o Universo e Tudo Mais - O Guia do Mochileiro das Galáxias - Vol. 3 

Após as loucas aventuras vividas com seus estranhos amigos em "O Guia do Mochileiro das Galáxias" e "O Restaurante no Fim do Universo", Arthur Dent ficou cinco anos abandonado na Terra Pré-Histórica. Mesmo depois de tanto tempo, ele ainda acordava todas as manhãs com um grito de horror por estar preso àquela monótona e assustadora rotina. Talvez Arthur até preferisse continuar isolado em sua caverna escura, úmida e fedorenta a encarar a próxima aventura para a qual seria forçosamente arrastado: salvar o Universo dos temíveis robôs xenófobos do planeta Krikkit. Este é o terceiro volume da "trilogia de cinco" de Douglas Adams, um dos mais cultuados escritores de ficção científica de todos os tempos. Seu humor corrosivo e sua habilidade em criar situações improváveis tornam seus livros indispensáveis para qualquer um que tenha capacidade de debochar de si mesmo. Usando o planeta Krikkit como paródia da nossa sociedade e das guerras raciais, Adams cria uma história divertida, inteligente e repleta dos mais inusitados significados sobre a vida, o universo e tudo mais.



Até Mais, e Obrigado pelos Peixes! - O Guia do Mochileiro das Galáxias - Vol. 4 

Depois de oito anos vagando pelos mais insondáveis cantos da Galáxia, Arthur Dent está de volta à Terra, e tudo parece estranhamente normal. Todas as coisas estão em seus devidos lugares – sua casa, seu emprego, seu planeta –, e é justamente por isso que ele começa a desconfiar de que, ou ficou completamente maluco e tudo não passou de uma grande alucinação, ou algo de muito mais estranho do que viagens espaciais a bordo de naves alienígenas poderia estar acontecendo. Em busca de respostas que possam explicar não só como a Terra poderia continuar a existir – já que ela havia sido destruída para dar passagem a uma estrada interplanetária anos antes –, mas também por que tudo estava absolutamente igual ao que era, exceto pelo misterioso desaparecimento dos golfinhos, Arthur começa uma nova jornada. Uma das poucas pessoas que poderiam ajudá-lo a compreender toda a história é Fenchurch. Juntos, Arthur e Fenchurch vivem um grande, profundo e divertido amor, cheio de beleza e poesia, mas repleto das mais inusitadas situações, enquanto procuram o motivo de tanta confusão.



Praticamente Inofensiva - O Guia do Mochileiro das Galáxias - Vol. 5 

Os anos mais conturbados como um viajante solitário já haviam passado. Arthur Dent se resignara à nova condição e se acostumara à vida pacata e relativamente feliz como Fazedor de Sanduíches em Lamuella. Conquistara até um certo prestígio junto aos habitantes locais e fazia disso um bom argumento para continuar por lá. Ao mesmo tempo, Ford Prefect via-se num conflito profissional ocasionado pela repentina venda do Guia do Mochileiro das Galáxias para outra editora. Sem compreender o funcionamento do novo Guia – que passara a se "comportar" de forma estranha – e não gostando nem um pouco de seu novo cargo como crítico de restaurantes, Ford se mete em alucinantes roubadas para não sair prejudicado (e para obter algum lucro, é claro). Em outro ponto do Universo, Tricia McMillan havia feito fama intergaláctica como repórter e levava uma rotina razoavelmente satisfatória, até um pequeno planeta chamado Rupert ser descoberto e tudo começar a dar estranhamente errado em sua vida. Espalhados pelos mais insondáveis cantos da Galáxia, Arthur, Ford e Tricia iam tocando suas vidas da melhor forma que podiam, mas tudo se complica novamente quando eles se reencontram. Tentando manter a sanidade e salvar a si mesmos, eles acabam assistindo juntos ao inevitável destino da Terra. Com reviravoltas surpreendentes, Praticamente Inofensiva traz aguardadas respostas, lança novas perguntas e, acima de tudo, faz o leitor lamentar o fim da saga de Dent e seus companheiros.


Bom, para falar a verdade, este livro é um pouco complicado de se ler no começo, até você se acostumar com a inteligência sobrenatural de Douglas Adams, que consegue reverter a história em um todo quando você acha que não tem como inventar algo mais inusitado. Ele sempre te surpreende, em todos os aspectos, e o seu humor não é nada comum, e eu adoro o jeito como ele escreve, como consegue imaginar e levar a história tão complicadamente encaixada. É uma grande obra literária, que recomendo para todo mundo ler, e amadurecer a sua leitura, se divertindo e se apaixonar pelos personagens, que mesmo sendo de personalidades diferentes, você irá ama-los do mesmo jeito. Você vai se encantar com o Marvin, Arthur e também o Ford, que por sinal são os meus personagens preferidos. Por outro lado eu achei a leitura um pouco cansativa em algumas partes, especificamente no segundo livro, sendo o que mais demorei entre todos. Mas apesar de tudo, vale muito a pena ler. 






Espero que gostem, aproveitem a dica, e bora ler! 
Beijos, Ju







 

A lover of books Copyright © 2012 Design by Amanda Inácio Vinte e poucos